O que é uma aliança?

Os escritórios de advocacia criam alianças com o objetivo principal de estender as possibilidades de atender a seus clientes em outras Cidades, Estados e mesmo Países. 

Uma aliança de escritórios de advocacia não se confunde com uma rede de correspondentes. Esta corresponde aos braços comandados por um cérebro único, escritórios ou mesmo apenas advogados que executam atividades operacionais, burocráticas, simples, sob o comando de um único escritório que desenvolve todo o trabalho intelectual, complexo, estratégico.

Já a aliança é uma estrutura mais complexa e sofisticada. Cada escritório aliado tanto executa as atividades operacionais e burocráticas quanto desenvolve o trabalho intelectual e estratégico em sua área geográfica de atuação.

Exemplificando:
Digamos que um cliente de um escritório localizado em São Paulo necessita da prestação de serviços jurídicos no Rio Grande do Sul e no Uruguai. Através do escritório paulista de que é cliente, ele poderá ter disponíveis os serviços jurídicos dos escritórios gaúchos e uruguaio, todos os três – escritórios paulistas, gaúcho e uruguaio – pertencentes a uma mesma aliança.

E terá esses serviços com o mesmo nível de qualidade do escritório paulista de que é cliente e com o indispensável conhecimento das culturas regionais e dos órgãos administrativos e judiciais locais dos escritórios gaúcho e uruguaio, podendo ainda optar por relacionar-se diretamente com estes escritórios, tornando-se cliente deles, ou deixar este relacionamento por conta do escritório paulista de que já é cliente.

As alianças não são prestadoras de serviços. Essa prestação e o faturamento correspondente ficam a cargo dos escritórios aliados. No caso do exemplo acima, o faturamento poderá ser feito diretamente pelos escritórios gaúcho e uruguaio ou centralizadamente pelo escritório paulista, que, neste caso, encarregar-se-á de repartir as receitas obtidas com aqueles escritórios.

E falar em obtenção de receitas leva-nos a outros objetivos das alianças além do objetivo principal de estender as possibilidades de atender a seus clientes em outras Cidades, Estados e mesmo Países. Evidentemente, o trabalho em aliança gera, para os escritórios aliados, novos negócios, novos clientes e, consequentemente, aumento de receitas.

Adicionalmente, cria uma rede de troca de experiências e consultas e discussões sobre teses jurídicas em abstrato e casos específicos, além de viabilizar a realização de eventos, seminários e congressos com custos repartidos entre os escritórios aliados. As alianças podem ser apenas nacionais, atendendo um único país, regionais ou internacionais. A ALAE é uma aliança regional.